• Os Puritanos

A Satisfação de Cristo para a Justiça de Deus » Joel Beeke



​​

A DOUTRINA DE CRISTO — A SATISFAÇÃO DE CRISTO PARA A JUSTIÇA DE DEUS

Nenhuma promessa do evangelho é mais fundamental ou preciosa do que o perdão dos pecados. Quando nossos pecados se levantam contra nós, nós afundamos sob o peso da convicção, e conhecendo a justiça das queixas e acusações apresentadas contra nós. Nós ansiamos por saber que Deus irá nos mostrar misericórdia, e afastar a nossa culpa de nós.

Contudo, como um Deus justo pode perdoar pecados? Ele não pode negar a Si mesmo, e portanto, Ele não pode permitir que o pecado fique sem punição. O pecado acarreta um terrível tipo de dívida moral e espiritual. O pecador reteve de Deus o amor e a obediência devidos à Ele, como o nosso Criador. Como resultado, o pecados é mantido refém da justiça de Deus e deve perecer debaixo da ira de Deus, a não ser que a dívida moral e espiritual seja completamente reparada ou satisfeita.

Esta visão do pecado agiganta-se amplamente no pensamento de Cristo. Ele a inseriu no Seu modelo de oração, como a quinta petição: “perdoa-nos as nossas dívidas” (Mateus 6:12). Ele viu o povo que Ele veio para salvar como estando morrendo debaixo do peso da dívida que eles tinham contraído através do pecado contra Deus. Ele veio ao mundo para “dar a sua vida em resgate por muitos” (Mateus 20:28), ou seja, para realizar a satisfação, para pagar a dívida completamente, e então assegurar a libertação dos devedores em relação à punição.

Paulo trabalha estas ideias de um modo convincente em Romanos 3:23-25. Ele mostrou que “todos pecaram e carecem da glória de Deus” (v. 23). Contudo, ele acrescenta que os crentes foram “justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus” (v. 24). “Redenção” significa a “liberação efetuada pelo pagamento de um resgate”.

Porém, Paulo ainda não terminou. Porque a morte de Cristo é um resgate por muitos? É porque Deus estabeleceu ou preordenou o Seu Filho encarnado para ser “a propiciação mediante a fé no seu sangue” (v. 25). Uma propiciação é uma oferta pelos pecados, que leva em consideração não apenas a culpe pelo pecado, mas também a ira de Deus contra nós, por causa dos nossos pecados. A ira de Deus é a Sua justiça despertada e em movimento.

A fúria da ira de Deus pode ser extinguida apenas quando as demandas da Sua justiça são satisfeitas ou completamente pagas. Paulo declara que Deus tem provido esta satisfação (ou pagamento), ao enviar o Seu próprio Filho para morrer na cruz. Desta forma, Deus pode ser justo e, ao mesmo tempo, “o justificador daquele que tem fé em Jesus” (v. 26). A misericórdia não precisa mais ser contida pela justiça; a justiça não precisa ser negada em nome da misericórdia.

Em outras palavras, Deus puniu o pecado no Seu Filho amado, Jesus Cristo, com a morte amarga e vergonhosa na cruz. Como o pagamento de um resgate, a justiça de Cristo é aceita como uma satisfação pela dívida do pecador, absolvendo-o de toda a culpa. Como uma propiciação, a Sua justiça cobre os nossos pecados e nos livra da ira e do julgamento de Deus. Nós podemos receber e aplicar a nós mesmos esta justiça e satisfação, não de outro modo senão apenas através da fé, operada pelo Espírito Santo, em Cristo. “Ele é a nossa paz” (Efésios 2:14).

Tal é a doutrina de Cristo e dos Seus apóstolos. Tristemente, as gerações mais recentes têm professado estar constrangidas pelo que elas consideram ser uma “teoria bárbara” (“selvagem” ou “primitiva”), da expiação pelo sangue. Na verdade, o que mudou foi a sua visão do pecado: Como meras fragilidades e erros humanos acarretam a ira divina? O Deus de amor não iria ignorar tais coisas tão sem importância? Vendo deste prisma, a morte de Cristo parece literalmente uma matança exagerada da parte de Deus.

Cristo antecipou tais interpretação errôneas, e então instituiu os sacramentos do santo batismo e da Seia do Senhor, para direcionar a nossa fé para o Seu sacrifício na cruz, como o único fundamento para a nossa salvação. O batismo é um sinal do caminho de lavagem e purificação dos pecados, pelo Seu sangue; a Seia do Senhor é uma manifestação ou exibição da morte de Cristo, até a Sua volta. O sacramentos selam em nossos corações as promessas de redenção através do Seu sangue e do perdão dos pecados.

_______________

​Vigésimo oitavo artigo da série "Grandes Doutrinas da Fé Cristã Reformada". Publicado com autorização

* The Reformation Heritage KJV Study Bible, Joel R. Beeke (editor geral), Reformation Heritage Books (RHB), Grand Rapids, Michigan, 2014, “List of In-Text Articles”. http://kjvstudybible.org

#JoelBeeke #TheReformationHeritageKJVStudyBible #FéReformada #DoutrinadeCristo #GrandesDoutrinasdaFéCristãReformada #SatisfaçãodeCristo #JustiçadeDeus

0 visualização

SOBRE OS PURITANOS

 

O Projeto Os Puritanos é um ministério sem fins lucrativos, nascido há mais de 25 anos e comprometido com as Escrituras Sagradas e com a exposição sistemática das verdades bíblicas conhecidas como a fé Reformada. O próprio nome "Os Puritanos" sinaliza claramente que nossa teologia tem sido e continua a ser conformada aos documentos teológicos conhecidos como a Confissão de Fé de Westminster e seus catecismos, em harmonia com os ricos tesouros dos credos e confissões da histórica tradição Reformada — as Três Formas de Unidade (Confissão Belga, Catecismo de Heidelberg e os Cânones de Dort).

Mais sobre Os Puritanos
  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • YouTube App Icon
  • Google+ App Icon
  • Pinterest Basic Square
  • LinkedIn App Icon
  • RSS App Icon

Receba notificações de Os Puritanos em seu email

© 2014 by Os Puritanos