• Os Puritanos

O Discipulado Cristão » Joel Beeke



​​

A DOUTRINA DA ELEIÇÃO — O DISCIPULADO CRISTÃO

Durante o Seu ministério público, o Senhor Jesus Cristo gastou tempo, em Marcos 8:34, para anunciar o que Ele exige daqueles que querem segui-lo: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me”. Estas palavras são direcionadas para todos os Cristãos, de todos os tempos e em todos os lugares; portanto, elas ainda estão em vigor hoje em dia.

O que é um discípulo? A palavra Grega “mathetes” significa “aquele que aprende”, especialmente aquele que aprende através da investigação e averiguação, e através do uso ou da prática do que é ensinado (Abbott-Smith, “Um Manual Léxico-Grego do Novo Testamento”). Cristo falou, “aprendei de mim” (Mateus 11:29). Todos aqueles que pertencem a Cristo precisam se matricular em Sua escola e aprender Dele, recebendo a Sua doutrina e o Seu testemunho, e conformando-se a si mesmos com o Seu exemplo de fé e piedade.

Discípulos precisam de mestres. Cristo designou mestres para a Sua igreja, a saber, os apóstolos e os seus sucessores, os ministros da Palavra (Atos 6:4; 1 Timóteo 5:17). Como servos de Cristo, estes mestres terrenos dever deferir a Ele, e o objetivo da sua instrução deve ser que Cristo seja formado naqueles que estão sob os seus cuidados (Gálatas 4:19): “Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor” (2 Coríntios 4:5).

APRENDER A NEGAR A SI MESMO

O que os discípulos de Cristo precisam aprender? Em primeiro lugar, eles precisam aprender a negar a si mesmos, a dizer não para si mesmos e para suas demandas. A negação de si mesmo começa com o reconhecimento de que os nossos problemas na vida resultam da consulta à nossa própria vontade, de seguir o nosso próprio caminho, e de viver para os nossos próprios fins. Cristo deve nos mostrar que ser centrado em si mesmo e servir a si mesmo é autodestrutivo. Este culto a si mesmo é a exteriorização da natureza pecaminosa com a qual nascemos. Nós devemos negar a isto, para podermos seguir a Cristo. A negação de si mesmo é tão fundamental para a vida Cristã, que Cristo a inclui na terceira petição da Sua oração modelo. “Faça-se a tua vontade” significa “Fazei com que nós e todos os seres humanos possam renunciar à sua própria vontade e, sem murmuração, obedeçam a Tua vontade, a única que é boa” (Catecismo de Heidelberg, Q.124).

APRENDER A TOMAR A CRUZ

Em segundo lugar, os discípulos precisam aprender a “tomar a sua cruz”. Note o pronome possessivo. A cruz indicada neste imperativo não é a de Cristo, mas é a nossa própria, a cruz designada para cada um de nós carregar. Nenhum de nós pode fazer o que Cristo fez por nós, quando Ele foi à cruz e morreu por nossos pecados. Nosso dever é nos submetermos à vontade de Deus para as nossas vidas, como Cristo o fez, mesmo que o fardo seja pesado, que o caminho seja duro, e que o fim seja a morte. Carregar a cruz é penoso para nós, como foi penoso para Cristo. Nós devemos aprender a orar como Ele orou no Getsêmani, “Meu Pai, se não é possível passar de mim este cálice sem que eu o beba, faça-se a tua vontade” (Mateus 26:42).

APRENDER A SEGUIR A CRISTO

Finalmente, os discípulos precisam aprender a seguir a Cristo, vivendo por fé, andando em amor, e fazendo o bem a todos: “Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos” (1 Pedro 2:21). O “seguir” também significa acompanhar alguém como um companheiro de viagem; como Cristãos, a nossa maior alegria e privilégio é viver em comunhão com Cristo, como o nosso Cabeça vivo. O salmista Asafe sabia nunca estava sozinho nos seus sofrimentos: “Todavia, estou sempre contigo, tu me seguras pela minha mão direita. Tu me guias com o teu conselho e depois me recebes na glória” (Salmos 73:23-24).

O chamado para o discipulado constitui uma parte essencial da proclamação do evangelho: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações” (Mateus 28:19a). A igreja de Cristo não é meramente uma organização de pessoas que tem a mesma opinião. Ao invés disso, como membros do corpo de Cristo, todos contribuem para o “aumento do corpo para a edificação de si mesmo em amor”. O objetivo é “crescer em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (Efésios 4:15-16). Os discípulos precisam crescer em amor por Cristo e por uns aos outros, de acordo com o preceito de Cristo: “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros” (João 13:35).

_____________

​Quadragésimo terceiro artigo da série "Grandes Doutrinas da Fé Cristã Reformada". Publicado com autorização

* The Reformation Heritage KJV Study Bible, Joel R. Beeke (editor geral), Reformation Heritage Books (RHB), Grand Rapids, Michigan, 2014, “List of In-Text Articles”. http://kjvstudybible.org

#JoelBeeke #TheReformationHeritageKJVStudyBible #FéReformada #GrandesDoutrinasdaFéCristãReformada #DoutrinadaEleição #DiscipuladoCristão

444 visualizações

SOBRE OS PURITANOS

 

O Projeto Os Puritanos é um ministério sem fins lucrativos, nascido há mais de 25 anos e comprometido com as Escrituras Sagradas e com a exposição sistemática das verdades bíblicas conhecidas como a fé Reformada. O próprio nome "Os Puritanos" sinaliza claramente que nossa teologia tem sido e continua a ser conformada aos documentos teológicos conhecidos como a Confissão de Fé de Westminster e seus catecismos, em harmonia com os ricos tesouros dos credos e confissões da histórica tradição Reformada — as Três Formas de Unidade (Confissão Belga, Catecismo de Heidelberg e os Cânones de Dort).

Mais sobre Os Puritanos
  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • YouTube App Icon
  • Google+ App Icon
  • Pinterest Basic Square
  • LinkedIn App Icon
  • RSS App Icon

Receba notificações de Os Puritanos em seu email

© 2014 by Os Puritanos