• Os Puritanos

A Comunhão dos Santos » Joel Beeke



​​

A DOUTRINA DA IGREJA — A COMUNHÃO DOS SANTOS

O artigo 9 do Credo Apostólico declara: “Creio… na Santa Igreja Universal; na comunhão dos santos”. O primeiro tesouro da igreja é a ligação ou o vínculo que os crentes tem uns com os outros. Esta comunhão dos santos – constituídos de todos os crentes verdadeiros que são justificados em Cristo, através do Espírito (Romanos 12:13; 1 Coríntios 1:2; 6:11) – é dupla. Em primeiro lugar, é o direito comum que nós temos em relação à Cristo e às Suas dádivas (1 João 1:3). Em segundo lugar, é um chamado para fazer uso dos nossos dos espirituais seculares entre, ou com, outros crentes (1 Coríntios 12:13; Filipenses 2:1-2).

Esta comunidade é uma unidade. Isto é, apesar de ter muitas partes e membros, ela representa apenas um único corpo (1 Coríntios 12:12). Esta unidade consiste, primeiramente, de uma unidade de fé e, em segundo lugar, de uma unidade do Espírito. Portanto, nós somos chamados a nos esforçar para “preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz” (Efésios 4:3-6). O fundamento para esta unidade é o conhecimento de Jesus Cristo, o Cabeça do corpo, que junta todas as partes do corpo, umas às outras (Colossenses 3:14-15).

Esta comunidade é santa por três motivos. Em primeiro lugar, a igreja é separada do mundo descrente e ímpio (Atos 2:40; 2 Coríntios 6:17; 1 Pedro 2:9). Em segundo lugar, a igreja é santa por causa da perfeita santidade de Cristo, que foi imputada sobre ela (João 17:19; 1 Coríntios 1:30). Em terceiro lugar, a igreja se esforça para alcançar uma maior santidade, porque ela foi purificada pelo lavar da Palavra (1 Pedro 1:15).

Esta comunidade é católica, ou universal. Ela consiste daquelas pessoas, em todos os lugares, que invocam o nome de Cristo (1 Coríntios 1:2; cf. Tito 1:4; 2 Pedro 1:1). Esta comunidade tem existido desde o começo do mundo e irá permanecer para sempre.

Esta comunidade é Cristã, denominada pelo nome de Cristo, o seu Noivo (João 3:29). Assim como uma esposa recebe o nome do seu marido (Gênesis 2:23), também a igreja recebe o nome de Cristo.

Esta comunidade é chamada de igreja, a assembleia de todos os crentes (2 Pedro 1:1). Esta igreja é frequentemente denominada “militante”, composta de todos os crentes na terra; as vezes, chamada de “triunfante”, consistindo de todos os santos que já estão na glória; por vezes, denominada “visível”, a assembleia de todos os crentes que professam a fé verdadeira, apesar de entremeados com descrentes (Mateus 13:38); algumas vezes, é chamada de “invisível”, constituída apenas dos eleitos (1 Pedro 1:2); por vezes, é denominada “universal”, formada por todos os crentes, de todos os tempos, lugares e nações; e, algumas vezes, é chamada “individual”, abrangendo uma congregação local.

No que diz respeito à esta comunhão dos santos, o crente individual precisa examinar a si mesmo, em diversos assuntos. Em primeiro lugar, ele precisa perguntar se ele verdadeiramente ama a fraternidade, a assembleia e a amizade dos crentes. Ao pertencer ao corpo, o crente precisa ter um particular afeto, ternura e afeição por todos os outros membros da família (1 João 3:14). Portanto, o crente não abandona a assembleia (Hebreus 10:25), quer seja no culto ou ajuntamento público para adoração (Salmos 27:4), ou na associação diária com outros crentes (Salmos 16:3; Atos 2:46).

Em segundo lugar, o crente precisa perguntar se ele sinceramente, de todo o coração, se esforça na busca por santidade. Se ele é um verdadeiro membro da igreja e é santificado pelo sangue de Cristo, isto deve ser provado por sua conduta de vida (Hebreus 12:14; 1 Pedro 1:15; cf. Atos 8:21).

Em terceiro lugar, ele precisa examinar a si mesmo para verificar se ele ama a Cristo de todo o seu coração. Duas marcas provam este amor: obediência (João 14:21) e um desejo ardente por Cristo (Apocalipse 22:17).

Em quarto lugar, o crente precisa usar os seus talentos, tanto os espirituais, quanto os seculares, com um coração desejoso de beneficiar outros amados irmãos. A partir deste uso de dádivas e dons, por parte de cada crente, o corpo todo é apropriadamente reunido (Efésios 4:16), conforme cada membro realiza a sua função adequada, sem inveja ou rancor (1 Coríntios 12:16-22). Resumidamente, se o crente é um membro do corpo, ele não deve fazer nada através de conflito ou por autopromoção, mas em humildade de espírito (Filipenses 2:3).

_____________

*Adaptado à partir da obra “The Practice of Faith, Hope, and Love, ch. 13”, de Godefridus Udemans (1581–1649).

​Quinquagésimo primeiro artigo da série "Grandes Doutrinas da Fé Cristã Reformada". Publicado com autorização

* The Reformation Heritage KJV Study Bible, Joel R. Beeke (editor geral), Reformation Heritage Books (RHB), Grand Rapids, Michigan, 2014, “List of In-Text Articles”. http://kjvstudybible.org

#JoelBeeke #TheReformationHeritageKJVStudyBible #FéReformada #GrandesDoutrinasdaFéCristãReformada #DoutrinadaIgreja #ComunhãodosSantos

847 visualizações

SOBRE OS PURITANOS

 

O Projeto Os Puritanos é um ministério sem fins lucrativos, nascido há mais de 25 anos e comprometido com as Escrituras Sagradas e com a exposição sistemática das verdades bíblicas conhecidas como a fé Reformada. O próprio nome "Os Puritanos" sinaliza claramente que nossa teologia tem sido e continua a ser conformada aos documentos teológicos conhecidos como a Confissão de Fé de Westminster e seus catecismos, em harmonia com os ricos tesouros dos credos e confissões da histórica tradição Reformada — as Três Formas de Unidade (Confissão Belga, Catecismo de Heidelberg e os Cânones de Dort).

Mais sobre Os Puritanos
  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • YouTube App Icon
  • Google+ App Icon
  • Pinterest Basic Square
  • LinkedIn App Icon
  • RSS App Icon
Topo da Página

Receba notificações de Os Puritanos em seu email

© 2014 by Os Puritanos