• Os Puritanos

A Misericórdia de Deus » Joel Beeke



A DOUTRINA DE DEUS — A MISERICÓRDIA DE DEUS

O Senhor é misericordioso (Jonas 4:2). A misericórdia de Deus é a Sua bondade ou benevolência para com uma pessoa em miséria (Mateus 9:27). O apóstolo Paulo escreveu, “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação!” (2 Coríntios 1:3). Preste atenção na ordem. Deus é, primeiramente, o Pai de Jesus Cristo, e então o nosso Pai, se estamos em Cristo. Cristo tem tudo em primeiro lugar, e nós recebemos tudo à partir Dele. Ele é o Primogênito, e nós somos os outros filhos. Ele é o primeiro amado de Deus, e nós somos amados Nele. Ele é preenchido primeiramente com graça, e nós somos preenchidos à partir Dele (João 1:16).

Deus precisa ser primeiro o Pai de Cristo, e somente então o nosso Pai através da em Cristo, para que Ele possa ser “o Pai de misericórdias” para nós. A misericórdia de Deus precisa ver a justiça de Deus satisfeita. Um atributo de Deus não pode destruir o outro (Salmos 85:10). Deus não pode falhar em Sua própria justiça, mas ela precisa ser satisfeita por Cristo (Romanos 3:26). Cristo tomou para si a nossa natureza, para morrer por nós (Hebreus 2:14,17), para que Deus pudesse ser nosso Pai, apesar dos nossos pecados, pois Ele puniu os nossos pecados em Cristo, nosso fiador (Hebreus 7:22). Deus, portanto, à partir do seu coração de misericórdia, encontrou um caminho para que Ele pudesse nos fazer o bem, e juntar a Sua misericórdia com a Sua justiça. Deus é santidade; nós somos uma massa de pecado e corrupção. Mas Cristo morreu por nós, e Deus é o Pai de misericórdias para todos aqueles que estão em Cristo. Como a justiça de Deus para o pecado foi satisfeita, o obstáculo é removido e a torrente de misericórdias de Deus flui livremente.

Deus é misericordioso por natureza. O mar não é molhado mais naturalmente, o sol não brilha mais naturalmente, o fogo não queima mais naturalmente, e a gravidade não puxa os pesos para baixo mais naturalmente, do que Deus naturalmente mostra misericórdia quando a Sua justiça é satisfeita. Os atributos de Deus, tais como a Sua sabedoria e o Seu poder, iriam nos aterrorizar se estivessem apartados da Sua misericórdia. Contudo, se O conhecemos como o Pai de misericórdias, então todos os Seus atributos se tornam doces para nós. A Sua sabedoria irá planejar boas coisas para nós. O Seu poder irá nos livrar dos nossos inimigos. A Sua justiça irá nos vingar contra aqueles que nos fazem mal.

Deus glorifica a Si mesmo ao mostrar misericórdia. Deus é misericordioso antes de sermos convertidos. Ele atrasa a Sua ira e não pune o pecador imediatamente. Deus é misericordioso no perdão de todos os pecados, na punição e no culpa, quando nós confiamos em Cristo. Deus é misericordioso na correção de alguns dos pecados dos Seus filhos (Hebreus 12:6), enquanto deixa passar muitos pecados, e modera a Sua correção com gentileza e no tempo perfeito. Ele é misericordioso na continuação das nossas bênçãos diárias. Se nós temos conforto, isto é misericórdia. Se nós temos força, isto é misericórdia. As Suas misericórdias não falham, mas renovam-se cada manhã (Lamentações 3:22-23). Tudo que vem de Deus para os Seus filhos é mergulhado em misericórdia.

Quando Deus é severo com pecadores, na Sua justiça, é por causa do erro deles. O Seu coração é misericordioso (Lamentações 3:33). Ele é bom em Si mesmo. Nós O provocamos para ser severo na justiça. Contudo, em Sua própria natureza, Ele “tem prazer na misericórdia” (Miquéias 7:18). Portanto, Ele será misericordioso com todo aquele que se arrepender dos seus pecados e se apossar de Cristo, através de uma fé verdadeira. Este é o nome pelo qual Deus quer ser conhecido, “compassivo, clemente e longânimo e grande em misericórdia e fidelidade” (Êxodo 34:6). Os Salmos nos falam a mesma coisa, mais e mais (Salmos 86:15; 103:8,13; 111:4; 116:5; 145:8-9).

As promessas de Deus são promessas de misericórdia. Sempre que um pecador se arrepende, independentemente de quantos ou quão maus os seus pecados possam ser, Deus irá esquecer-se de todos eles (1 João 1:7). A Bíblia fala para a alma culpada: “Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo, os seus pensamentos; converta-se ao SENHOR, que se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar” (Isaías 55:7). Nós somos vingativos, rápidos para nos ofendermos e procurarmos vingança. Nossos pensamentos de misericórdia são pobres e estreitos, porque somos tão inclementes e sem piedade. Mas os pensamentos de Deus estão acima dos nossos pensamentos, e os Seus caminhos estão acima dos nossos caminhos (Isaías 55:7-8). A misericórdia de Deus é infinita!

________________

Décimo artigo da série "Grandes Doutrinas da Fé Cristã Reformada". Publicado com autorização

Adaptado à partir da obra “Exposition of 2 Corinthians 1”, de Richard Sibbes (1577-1635).

* The Reformation Heritage KJV Study Bible, Joel R. Beeke (editor geral), Reformation Heritage Books (RHB), Grand Rapids, Michigan, 2014, “List of In-Text Articles”. http://kjvstudybible.org

#MisericórdiadeDeus #JoelBeeke #TheReformationHeritageKJVStudyBible #ADoutrinadeDeus #FéReformada #GrandesDoutrinasdaFéCristãReformada

508 visualizações

SOBRE OS PURITANOS

 

O Projeto Os Puritanos é um ministério sem fins lucrativos, nascido há mais de 25 anos e comprometido com as Escrituras Sagradas e com a exposição sistemática das verdades bíblicas conhecidas como a fé Reformada. O próprio nome "Os Puritanos" sinaliza claramente que nossa teologia tem sido e continua a ser conformada aos documentos teológicos conhecidos como a Confissão de Fé de Westminster e seus catecismos, em harmonia com os ricos tesouros dos credos e confissões da histórica tradição Reformada — as Três Formas de Unidade (Confissão Belga, Catecismo de Heidelberg e os Cânones de Dort).

Mais sobre Os Puritanos
  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • YouTube App Icon
  • Google+ App Icon
  • Pinterest Basic Square
  • LinkedIn App Icon
  • RSS App Icon

Receba notificações de Os Puritanos em seu email

© 2014 by Os Puritanos