• Os Puritanos

A Sabedoria de Deus » Joel Beeke



A DOUTRINA DE DEUS — A SABEDORIA DE DEUS

A sabedoria de Deus é um dos Seus atributos infinitos, eternos e imutáveis (Breve Catecismo de Westminster, Q.4). A sabedoria de Deus não é apenas uma de Suas perfeições divinas, mas ela designa a própria Pessoa de Deus, mais especificamente a Segunda Pessoa da Trindade.

Uma coisa essencial para compreender o significado da sabedoria, tanto como uma perfeição divina quanto como uma Pessoa, é compreender o significado da palavra sabedoria, que diz respeito simplesmente à habilidade. A esfera de aplicação desta habilidade é definida pelo contexto no qual a palavra ocorre. Na época do Antigo Testamento, quando alguém era considerado bom, era levada em conta a sua sabedoria.

Sabedoria, como uma perfeição divina, destaca a habilidade infinita de Deus para fazer o que quer que seja apropriado para Deus fazer. Ela está relacionada ao Seu infinito conhecimento, à Sua onisciência, na qual Ele conhece todas as coisas. Ela também está relacionada ao Seu infinito poder, Sua onipotência, na qual Ele pode fazer todas as coisas. Na Sua infinita sabedoria, Deus usa os melhores meios possíveis para alcançar os melhores fins possíveis. O Seu conhecimento abrangente de tudo está acoplado com a Sua habilidade de realizar os Seus propósitos. Ele é onisciente; portanto, Deus é infinitamente bom em tudo o que Ele faz.

As operações da sabedoria de Deus ocorrem principalmente em Suas obras de criação e providência. A criação é uma atividade divina singular, que fornece evidência do infinito poder de Deus para trazer o Seu propósito e plano à realização: “O SENHOR com sabedoria fundou a terra” (Provérbios 3:19). Com habilidade infinita, Ele chamou o mundo à existência. A providência é o trabalho contínuo da sabedoria de Deus, pelo qual Ele preserva e dirige a Sua criação ao fim que Ele propôs para a Sua própria glória. Esta sábia providência se estende à ordem natural, conforme Ele define o curso para os oceanos, os ventos, o clima, e as migrações de animais (Jó 28:26; 37:1-24; 38:10-11; 39:26; Eclesiastes 1:6-7). Ela também engloba a ordem moral, se estendendo para todos os caminhos e motivos do homem (Provérbios 15:11; 16:2). O desafio do Senhor para Jó sentar no trono e governar testifica o Seu absoluto controle (Jó 40:8-14). As obras de providência são frequentemente misteriosas: “Donde, pois, vem a sabedoria... Está encoberta aos olhos de todo vivente” (Jó 28:20-21). Contudo, mesmo quando as circunstâncias da vida parecem estar fora de controle, nós podemos descansar, assegurados de que Deus, de acordo com a Sua sabedoria, está cooperando todas as coisas para o bem (Romanos 8:28). Ele sabe o que Ele está fazendo, e Ele o está fazendo da melhor forma possível, para alcançar o melhor fim possível. Confie em Sua sabedoria.

Sabedoria, como uma Pessoa divina, é um título de Cristo. Os capítulos 1, 8 e 9 de Provérbios empregam a palavra Sabedoria para se referir à pessoa do Messias, e não apenas para personificar uma perfeição divina. O modo como Provérbios chama o Messias de “Sabedoria” não é muito diferente de como Isaías chama Deus de “O Santo de Israel”. Ambos os títulos usam uma das perfeições do Senhor para o designar. O Novo Testamento sanciona ou valida a interpretação messiânica. Considere estes textos neotestamentários para identificar Cristo como Sabedoria: Mateus 11:19,25-30; 23:34; Lucas 11:49; 1 Coríntios 1:24,30; Colossenses 2:3.

O texto de Provérbios 8 talvez traga a descrição mais detalhada da Sabedoria; ele estabelece três vertentes de evidência que apontam para a identificação messiânica. Primeiro, a Sabedoria é Deus. A Sabedoria é distinta de Deus, falando de Deus na terceira pessoa (vv. 27-30), contudo ele faz declarações que demandam a divindade. Isto reflete a relação trinitariana entre o Pai e o Filho. Por exemplo, existem pelo menos dez declarações sugerindo que a Sabedoria esteve presente antes da criação (vv. 22-30), e envolvida na obra de criação (v. 30, ver explicação nas notas de Provérbios). Compare isto com João 1:1,3; a única diferença é que João chama Cristo de “o Verbo” [ou “a Palavra”], enquanto Salomão [em Provérbios] chama Ele de “Sabedoria”. Em segundo lugar, a Sabedoria é o Messias. Ela faz o que, em outro ponto da Escritura, o Messias faz. Isto é particularmente verdade em Provérbios 8:1-21. Como Profeta, a Sabedoria proclama a Palavra de Deus (vv. 6-8). Como Rei, a Sabedoria exerce governo absoluto sobre os menos nobres (v. 16). O que Isaías fala sobre o Messias em sua profecia (Isaías 11:2) corrobora o que Salomão fala em Provérbios 8:12-14. Em terceiro lugar, a Sabedoria é o objeto da fé salvadora (v. 17; cf. João 6:37). A fé salvadora tem sempre e somente a Cristo como seu objeto.

___________

Sétimo artigo da série "Grandes Doutrinas da Fé Cristã Reformada". Publicado com autorização.

* The Reformation Heritage KJV Study Bible, Joel R. Beeke (editor geral), Reformation Heritage Books (RHB), Grand Rapids, Michigan, 2014, “List of In-Text Articles”. http://kjvstudybible.org

#JoelBeeke #ADoutrinadeDeus #Sabedoria #FéReformada #TheReformationHeritageKJVStudyBible #GrandesDoutrinasdaFéCristãReformada

272 visualizações

SOBRE OS PURITANOS

 

O Projeto Os Puritanos é um ministério sem fins lucrativos, nascido há mais de 25 anos e comprometido com as Escrituras Sagradas e com a exposição sistemática das verdades bíblicas conhecidas como a fé Reformada. O próprio nome "Os Puritanos" sinaliza claramente que nossa teologia tem sido e continua a ser conformada aos documentos teológicos conhecidos como a Confissão de Fé de Westminster e seus catecismos, em harmonia com os ricos tesouros dos credos e confissões da histórica tradição Reformada — as Três Formas de Unidade (Confissão Belga, Catecismo de Heidelberg e os Cânones de Dort).

Mais sobre Os Puritanos
  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • YouTube App Icon
  • Google+ App Icon
  • Pinterest Basic Square
  • LinkedIn App Icon
  • RSS App Icon
Topo da Página

Receba notificações de Os Puritanos em seu email

© 2014 by Os Puritanos