• Os Puritanos

A Alma » Joel Beeke



A OBRA DA CRIAÇÃO — A ALMA

No deserto da Judéia, Davi experimentou sede e fome que vão muito além de qualquer necessidade física por bebida ou comida. A sua sede era da alma, a sua fome era por Deus, “assim, eu te contemplo no santuário, para ver a tua força e a tua glória” (Salmos 63:1-2). Como um guerreiro experiente, Davi podia seguir sem comida ou bebida, se fosse preciso. Privado do acesso à casa de Deus, contudo, ele clama em seu isolamento e em seu vazio.

Davi usa os termos alma e carne (ou corpo) para descrever o seu ser completo. Paulo usa termos similares: “mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia” (2 Coríntios 4:16). Em ambos os casos, o conceito é o de que a constituição humana tem dois aspectos, o “homem exterior” visível de carne e sangue, e o “homem interior” ou “alma”, como Pedro fala, “o homem interior do coração” (1 Pedro 3:4).

A palavra “nephesh”, em hebraico, é usada centenas de vezes no Antigo Testamento, sendo traduzida frequentemente como “alma” (“soul” - 428 vezes, versão KJV). Contudo, dependendo do contexto, os tradutores usaram a tradução “vida” (“life”- 119 vezes), “pessoa” (“person” - 30 vezes), “coração” (“heart” - 15 vezes), e “mente” (“mind” - 15 vezes). No Novo Testamento, a palavra “psuche”, em grego, foi traduzida por “alma” (“soul” - 58 vezes), “vida” (“life” - 40 vezes), “mente” (“mind” - 3 vezes), e “coraçao” (“heart” - 1 vez). Com esta grande variedade de significados, não é sábio definir a palavra muito estrita ou precisamente.

A Escritura ensina que o corpo humano é uma criação especial de Deus, formado à partir do pó da terra e trazido à vida quando Deus soprou nele o “fôlego de vida”: “o homem passou a ser alma vivente” (Gênesis 2:7). A alma humana é imaterial e imortal, sendo a sede do conhecimento e compreensão, memória e meditação, consciência e ser consciente, vontade e emoção. É a identidade exclusiva de cada pessoa ou “eu”. Cada alma humana é um presente da mão de Deus (Eclesiastes 12:7).

A interação entre a alma e o corpo é tão contínua ou ininterrupta, que é frequentemente impossível distinguir quando um efeito é produzido por uma ou pela outra. Certamente, a alma fornece vida para o corpo, e o que acontece na alma fica registrado no corpo. Davi registrou os efeitos físicos do seu silêncio cheio de culpa: “enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia” (Salmos 32:3).

A morte é o rasgar da alma e do corpo. O corpo sucumbe à corrupção. As almas dos justos são tornadas perfeitas em santidade e são recebidas nos mais elevados céus, para contemplar a face de Deus, em luz e glória, aguardando pela ressurreição dos seus corpos. As almas dos ímpios são lançadas no inferno, para permanecer em tormentos e trevas extremas, aguardando pelo julgamento do último dia. A Escritura não dá suporte para as falsas crenças como, por exemplo, o “sono da alma”, a segunda chance para receber a Cristo e ser salvo depois da morte, a salvação por meio do sofrimento no purgatório, a reincarnação, ou a aniquilação das almas dos ímpios.

Algumas pessoas tem sugerido uma distinção entre “alma” e “espírito”, baseado na oração de Paulo encontrada em 1 Tessalonicenses 5:23: “… e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis…”. Qualquer distinção entre “alma” e “espírito” falha porque as palavras são usadas, de maneira intercambiável, em outra passagem (ver Lucas 1:46-47), e elas denotam a mesma coisa, ou seja, o “homem interior”. Paulo está usando uma perífrase ou circunlóquio, para enfatizar a totalidade da preservação que ele deseja para os seus leitores.

A Escritura não denigre o corpo humano, uma vez que que ele é uma criação de Deus, embora a sua beleza e perfeição originais foram arruinadas por causa do pecado. Contudo, Cristo nos ensina a colocarmos nossas necessidades da alma acima dos nossos clamores do corpo: “Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” (Mateus 16:26). Paulo diz a mesma coisa, de forma positiva: “Pois o exercício físico para pouco é proveitoso, mas a piedade para tudo é proveitosa, porque tem a promessa da vida que agora é e da que há de ser” (1 Timóteo 4:8).

_______________

Décimo sexto artigo da série "Grandes Doutrinas da Fé Cristã Reformada". Publicado com autorização

* The Reformation Heritage KJV Study Bible, Joel R. Beeke (editor geral), Reformation Heritage Books (RHB), Grand Rapids, Michigan, 2014, “List of In-Text Articles”. http://kjvstudybible.org

#JoelBeeke #TheReformationHeritageKJVStudyBible #ObradaCriação #Alma #FéReformada #GrandesDoutrinasdaFéCristãReformada

97 visualizações

SOBRE OS PURITANOS

 

O Projeto Os Puritanos é um ministério sem fins lucrativos, nascido há mais de 25 anos e comprometido com as Escrituras Sagradas e com a exposição sistemática das verdades bíblicas conhecidas como a fé Reformada. O próprio nome "Os Puritanos" sinaliza claramente que nossa teologia tem sido e continua a ser conformada aos documentos teológicos conhecidos como a Confissão de Fé de Westminster e seus catecismos, em harmonia com os ricos tesouros dos credos e confissões da histórica tradição Reformada — as Três Formas de Unidade (Confissão Belga, Catecismo de Heidelberg e os Cânones de Dort).

Mais sobre Os Puritanos
  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • YouTube App Icon
  • Google+ App Icon
  • Pinterest Basic Square
  • LinkedIn App Icon
  • RSS App Icon

Receba notificações de Os Puritanos em seu email

© 2014 by Os Puritanos