• Os Puritanos

O Chamado de Deus » Joel Beeke



​​

A DOUTRINA DA ELEIÇÃO — O CHAMADO DE DEUS

Como Deus traz pecadores para Si? A Bíblia diz que Ele os chama. Uma descrição Neotestamentária de Cristãos aparece em 1 Coríntios 1:24: “os que foram chamados”, ou em uma tradução mais simples, “os chamados”, isto é, aqueles chamados ou convocados por Deus, para a graça e a vida encontradas apenas através da fé em Jesus Cristo. Usando o mesmo termo, Paulo nos assegura, “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Romanos 8:28).

Um dos primeiros exemplos do chamado de Deus para pecadores é encontrado em Gênesis 11. Um homem chamado Abrão (mais tarde, mudado para Abraão), nascido em Ur dos Caldeus, foi para a terra de Canaã, juntamente com o seu pai Tera e seus familiares. Por que estes antigos Caldeus levantaram acampamento e se deslocaram para um lugar quase mil quilômetros distante, na outra ponta do “Crescente Fértil”? Gênesis 12:1 começa nos contando: “Ora, disse o SENHOR a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei”. A ordem para deixar a terra de Ur e buscar por um novo país é acompanhada por promessas de bênçãos sobre Abrão, sobre sua família, e, através dele, bênçãos sobre todas as famílias da terra.

Deus revelou-Se a um pagão idólatra, falando com ele com tal autoridade convincente, que Abrão não poderia fazer nada, além de confiar e obedecer. O fruto da nova fé de Abrão no único e verdadeiro Deus, foi a obediência em relação às Suas ordens: “Pela fé, Abraão, quando chamado, obedeceu, a fim de ir para um lugar que devia receber por herança; e partiu sem saber aonde ia” (Hebreus 11:8).

Ao longo de toda a Escritura nós vemos Deus continuamente chamar aos pecadores. Ele fala uma palavra de comando, frequentemente para alguém que previamente não O conhecia como Deus e vivia em ignorância, descrença e desobediência sem lei. O chamado é apresentado como um convite, mas com Deus, um convite é sempre uma ordem, lançada de modo imperativo, contudo expressa graciosamente. O próprio Cristo emite tal chamado e comando, dizendo, “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei” (Mateus 11:28). A palavra de comando é perfeitamente unida à promessa graciosa.

Hoje em dia, Deus chama os pecadores à fé em Cristo e ao arrependimento dos seus pecados, através da pregação do evangelho. A igreja tem a tarefa de proclamar o evangelho para todas as nações, convidando e exortando todos que o ouvem para virem a Cristo, por fé, para obterem o perdão de seus pecados e a vida eterna. O comando é tão convincente, o convite é tão gracioso e atraente, que ficamos atônitos em perceber que apenas poucas pessoas respondem, e muitas ignoram.

A solução Bíblica para este problema é a doutrina da eleição graciosa e incondicional. Da massa pecaminosa da humanidade, algumas pessoas foram escolhidas, ou ordenadas por Deus para a vida eterna, enquanto as outras foram reprovadas, e permitidas continuarem como escolheram ser, ou seja, pecadores descrentes e não arrependidos. À margem do chamado de Deus, não há diferença entre o eleito e o réprobo; todos são pecadores. A eleição não é uma questão de capacidade intelectual, retidão moral, aptidão religiosa, ou superioridade racial: “pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23).

A eleição de Deus serve ao Seu grandioso propósito de glorificar ao Seu Filho como o Salvador de pecadores. Os eleitos foram concedidos, pelo Pai, ao Filho (João 6:37). Cristo os abraça e os envolve como os Seus próprios, e deu a Sua vida para salvá-los (João 10:11-15). Através da Sua Palavra e do Seu Espírito Santo, Ele os atrai a Si mesmo, iluminando as suas mentes e renovando os seus corações e vontades, capacitando-os a crer nas promessas do evangelho e a abandonar o pecado, para servi-Lo com uma obediência de amor e gratidão.

A Bíblia declara, “muitos são chamados, mas poucos, escolhidos” (Mateus 22:14). No vocabulário dos teólogos de Westminster, todos os que ouvem ao evangelho são chamados, mas apenas alguns são eficazmente chamados (Confissão de Fé de Westminster, capítulo 10). O chamado externo do evangelho precisa estar acompanhado de uma obra interna da graça divina nos corações dos eleitos.

_______________

​Trigésimo quarto artigo da série "Grandes Doutrinas da Fé Cristã Reformada". Publicado com autorização

* The Reformation Heritage KJV Study Bible, Joel R. Beeke (editor geral), Reformation Heritage Books (RHB), Grand Rapids, Michigan, 2014, “List of In-Text Articles”. http://kjvstudybible.org

#JoelBeeke #TheReformationHeritageKJVStudyBible #FéReformada #GrandesDoutrinasdaFéCristãReformada #DoutrinadaEleição #ChamadodeDeus

124 visualizações

SOBRE OS PURITANOS

 

O Projeto Os Puritanos é um ministério sem fins lucrativos, nascido há mais de 25 anos e comprometido com as Escrituras Sagradas e com a exposição sistemática das verdades bíblicas conhecidas como a fé Reformada. O próprio nome "Os Puritanos" sinaliza claramente que nossa teologia tem sido e continua a ser conformada aos documentos teológicos conhecidos como a Confissão de Fé de Westminster e seus catecismos, em harmonia com os ricos tesouros dos credos e confissões da histórica tradição Reformada — as Três Formas de Unidade (Confissão Belga, Catecismo de Heidelberg e os Cânones de Dort).

Mais sobre Os Puritanos
  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • YouTube App Icon
  • Google+ App Icon
  • Pinterest Basic Square
  • LinkedIn App Icon
  • RSS App Icon
Topo da Página

Receba notificações de Os Puritanos em seu email

© 2014 by Os Puritanos